Com forte atuação da bancária Erika Kokay, CCJ adia votação

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Com forte atuação da bancária Erika Kokay, CCJ adia votação Destaque

Com forte atuação da bancária Erika Kokay, CCJ adia votação

Entre tentativas de “mutilação” do regimento interno da Câmara dos Deputados e manobras de parlamentares associados aos banqueiros, os parlamentares contrários a essa reforma da Previdência(PEC 006/2019) garantiram que a votação do relatório do deputado Marcelo Freitas (PSL-MG), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), fosse adiada para a próxima terça-feira, dia 23.

O resultado foi considerado uma “vitória do Brasil e do povo brasileiro” para a bancária e deputada federal Erika Kokay (PT-DF). “Nós, mulheres da esquerda, ocupamos a mesa diretiva da CCJ para impedir que o trator do mercado financeiro, do Francischini (presidente da CCJ) e do Maia (presidente da Câmara) passasse por cima do direito do povo à aposentadoria”, disse a deputada pelo Twitter.

Kokay foi uma das parlamentares decisivas no adiamento da votação do relatório da reforma da Previdência. Para embarreirar a manobra da base de Bolsonaro, a parlamentar chegou à Câmara às 4h40, mais de 5 horas antes do início da sessão da CCJ, para garantir o primeiro lugar na fila de apreciação de requerimentos.

Para tentar acelerar a apreciação da PEC 006/2019, a base de Bolsonaro abriu mão das falas no processo de discussão do texto na CCJ. “Essa é uma manobra suja e muito perigosa. Esse momento é decisivo para que a população conheça o que é a reforma da Previdência e se posicione sobre isso. Os parlamentares da base do governo sabem de todos os prejuízos irreparáveis que a reforma traz e, também por isso, abriram mão de suas falas”, avalia o diretor do Sindicato dos Bancários de Brasília Kleytton Morais. 

Pressão não deve parar

As duas vitórias consecutivas da oposição na CCJ da Câmara dos Deputados não anulam a iminente aprovação da reforma da Previdência. Para aumentar a pressão contra a PEC de Bolsonaro, a CUT Brasília e o Sindicato dos Bancários de Brasília orientam bancários e bancárias a atuarem dentro e fora da Câmara.

“Chamamos todos os trabalhadores e todas as trabalhadoras para irem à Câmara dos Deputados na próxima terça-feira, dia 23. Vamos mostrar que a população não vai deixar ter sua aposentadoria e seus direitos roubados”, conclama o presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto.

Outra orientação é ligar, mandar e-mails e mensagens nas redes sociais para os parlamentares que compõem a CCJ e se posicionaram indecisos ou favoráveis à reforma da Previdência.

“A gente tem que fortalecer a luta contra a reforma da Previdência. Essa proposta é nefasta e só interessa aos banqueiros. A população, de forma geral, principalmente a mais vulnerável, é prejudicada de forma cruel. Esse modelo de Previdência de Bolsonaro foi aplicado no Chile e levou milhares de idosos ao suicídio. Não queremos isso para o nosso povo”, reforça Kleytton Morais.

  • Clique aqui para ter acesso à lista de todos os membros da CCJ. Ao clicar no nome do parlamentar, você verá o telefone, endereço e e-mail do deputado ou deputada. É fácil e rápido!

Da Redação
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados