Trabalhadores engrossam seminário sobre reforma da Previdência, nesta terça (16)

Trabalhadores engrossam seminário sobre reforma da Previdência, nesta terça (16) Destaque

Trabalhadores engrossam seminário sobre reforma da Previdência, nesta terça (16)

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP) da Câmara dos Deputados realizará nesta terça-feira (16) seminário sobre a reforma da Previdência. Trabalhadores e trabalhadoras de diversas categorias participarão da atividade para reforçar a posição contrária à proposta do Executivo. A atividade será às 9h, no Auditório Nereu Ramos.

Para o bancário e presidente da Central Única dos Trabalhadores de Brasília (CUT), Rodrigo Britto, o momento é de “mobilização e empenho individual e coletivo”. “Vamos ocupar os espaços e disputar essas narrativas, pois a reforma da Previdência de Bolsonaro impacta toda população brasileira”, afirma.

A reforma da Previdência de Bolsonaro tramita na Câmara dos Deputados como Proposta de Emenda à Constituição 006/2019, e impõe uma série de prejuízos à classe trabalhadora. Entre elas, o aumento da idade para aposentar, o aumento do tempo de contribuição e a perda de vários outros direitos garantidos na Constituição Federal, promovendo um verdadeiro desmonte do sistema previdenciário.

Votação
O texto do relator da reforma da Previdência, deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), poderá ser votado nesta terça-feira (16), na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. O material recomenda a aprovação da PEC 006.

A reforma da Previdência está em debate na CCJ da Câmara, nesta segunda-feira (15). De acordo com a líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), a ideia é exaurir o debate sobre a proposta nesta segunda para votar na terça (16).

A proposta da parlamentar, entretanto, não é consenso. O vice-líder da minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), disse que vários partidos, inclusive o dos Trabalhadores, apresentará voto em separado.

A votação do relatório de Freitas ainda esbarra na PEC do Orçamento Impositivo, que prevê que o governo federal seja obrigado a liberar a verba de emendas parlamentares de bancada para ações previstas no Orçamento. A intenção de partidos da oposição e do chamado Centrão é de apresentar requerimento para inversão de pauta. Com isso, a PEC do Orçamento Impositivo seria votada antes da PEC da reforma da Previdência.

Da Redação