Bolsonaro pagou R$ 2,8 milhões por 20 dias de propaganda sobre vacina no Jornal Nacional e Fantástico, da Globo

Enquanto ilude apoiadores dizendo que cortou assinaturas de revistas e jornais da mídia liberal, Bolsonaro despeja dinheiro nas emissoras de TV. Globo obteve maior fatia, com quase R$ 1 milhão só no BBB

0

Enquanto ilude apoiadores dizendo que acabou com o repasse de dinheiro aos veículos de comunicação neoliberais com o cancelamento de assinaturas de jornais e revistas, Jair Bolsonaro despeja milhões em dinheiro público em emissoras de TV, principalmente na Globo, para tentar reverter sua imagem negacionista em relação à vacinação contra a Covid-19.

Dados divulgados por Dioclécio Luz no site Brasil Popular, obtidos por meio da Lei de Acesso da Informação, revela que em apenas uma campanha, intitulada “Brasil imunizado, somos uma só nação”, veiculada entre os dias 16 de março e 6 de abril, o governo Bolsonaro gastou R$ 17,8 milhões em propaganda nas principais emissoras de TV.

A TV Globo foi a maior agraciada com um total de R$ 4 milhões em 20 dias da ação de marketing. Só no Jornal Nacional e no Fantástico, o montante chegou a R$ 2.873.180,00, quase 1% do valor gasto pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para internações com pacientes com Covid-19 em um ano de pandemia – de março de 2020 a fevereiro de 2021, o custo das internações decorrentes do coronavírus foi de R$ 2,99 bi. No BBB, o gasto foi de R$ 950 mil.

Edir Macedo
Aliada de Bolsonaro, a TV Record, de Edir Macedo, ficou com R$ 3,9 milhões em recursos da ação publicitária. O SBT, também governista, vem logo atrás com R$ 3,8 milhões. Os números mostram o quanto Bolsonaro privilegia as duas emissoras, que têm índices de audiência bem abaixo da Globo.

A Band recebeu R$ 1.009.798,70 e a Rede TV R$ 700 mil pela campanha.

Entre as emissoras regionais, a TV A Crítica, que produz o programa de Sikêra Júnior, onde Bolsonaro ameaçou usar as Forças Armadas contra governadores estaduais, recebeu R$ 221,6 milhões, sendo que R$ 65 mil foram destinados ao programa do apresentador bolsonarista.

Na Record, o Cidade Alerta, apresentado por Luiz Bacci, obteve R$ 395 mil das verbas da ação publicitária. Já José Luiz Datena, do Brasil Urgente (Band), teve R$ 110 mil.

No SBT, foram R$ 112 mil para o programa A Praça É nossa, R$ 347 mil para o Programa Sílvio Santos; cerca de R$ 83 mil para o Programa Raul Gil; outros R$ 160 mil para o programa Eliana; e R$ 500 mil para o Programa do Ratinho.

Fonte: Brasil Popular